Casa da Mulher Brasileira de Curitiba

Hoje em Curitiba foi inaugurada a Casa da Mulher Brasileira. Chamou atenção a ausência de representantes do Governo interino e ilegítimo na inauguração desta obra que é do governo federal. Este fato demonstra a falta de compromisso do governo golpista com a luta das mulheres em especial com aquelas em situação de violência. Os movimentos feministas, articulados através do comitê de MULHERES PELA DEMOCRACIA da Frente Brasil Popular, fizeram um ato de agradecimento ao Governo democraticamente eleito da Presidenta Dilma Rousseff por seu compromisso com as pautas das mulheres. Fizemos também um ato de denuncia do atual governo, que desde a nomeação dos ministérios já mostrou que as mulheres (em especial as mulheres negras) não estão incluídas no seu projeto político.

Os movimentos feministas preferiam que esta casa não fosse necessária, porém, infelizmente a cultura machista está impregnada em nossa sociedade fazendo com que sejamos vítimas de violência somente por sermos mulheres.

Esta casa está localizada na Avenida Paraná, próximo ao terminal do Cabral. Além de todo o lado social destinado às mulheres vítimas de violência, contando com o serviço de psicologia e assistência social, a Casa da Mulher Brasileira abriga no mesmo local, trabalhando em regime de plantão, a Delegacia da Mulher, o Ministério Público e a Defensoria Pública.

A casa poderá abrigar provisoriamente (máximo de 48 horas) mulheres em situação de risco, contando com alojamento de passagem, brinquedoteca e uma central de transportes. O Centro de Operações da Patrulha Maria da Penha, da Guarda Municipal de Curitiba, também vai permanecer dentro da Casa da Mulher Brasileira. Ao todo, são 121 funcionários, com capacidade para receber, simultaneamente, 90 mulheres, abrigar 10 e realizar 4.500 atendimentos ao mês.

Nosso enfrentamento a violência contra as mulheres continua. Esperamos que esta casa iniba alguns agressores por saberem que há mais políticas de proteção as mulheres e a punição será efetiva. Porém, o grande investimento na luta contra o machismo deve ocorrer na educação. Devemos debater gênero nas escolas já nas séries iniciais para desconstruir a cultura do machismo e a consequente cultura do estupro. Esperamos que esta Casa possa trazer indicadores que fomente mais políticas públicas para as mulheres, com ações direcionadas visando a diminuição da violência, para que no futuro não haja necessidade de construir novas Casas como esta.

Seguem algumas palavras de ordem que entoamos na inauguração:

Dilma Presente, Coração Valente!

-Nem recatada e nem do lar, a mulherada ta na rua pra lutar!

-A violência contra a mulher não é o mundo que a gente quer. Se tem violência contra a mulher, a gente mete a colher!

-Estado é laico, não pode ser machista. O corpo é nosso, não da bancada moralista. As mulheres estão nas ruas por libertação, lugar de estuprador não pode ser na certidão

image

Anúncios

Qual sua opinião sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s